PR Banks & Leandro Mc – Mlk Zika Pra Caray (PARTE 2) [RitmoVERDADE]

http://youtu.be/k4_9KyJoN1k

Download MP3 ► http://mediafire.com/?2ge1sjqd04w91e4
Edit/Mix/Master ► L.A.K (Leandro Amorim Kanashiro)
Leandro Mc ► http://facebook.com/LeandroMcOFICIAL
PR Banks ► http://facebook.com/alexzica87

[LETRA]

(Intro)

Hã…
PR banks, Leandro mc
Na porra do bagui né?
Solicita, muleque zica
Na porra da batida, Vai…

(Refrão entrada)

Qual o rolê, ainda num sei (tamo pronto pra invadir é só chamar neguim)
Na rua é nóis quem faz a lei (mulek zica no comando, É nois!)

(Verso 1) [PR Banks]

Tô a mil pelo mundão, aqui PR na função
Junta Leandro sangue bom, pega o mic, aumenta o som
Sentido zona norte, ali Dinei (W&D)
Na rima pra quem manja, só saber se envolver
Tipo assim, não falo por você e sim por mim
A mãe educa, ensina mas na rua que aprendi
Conheci, ideologia da arte da guerra
A rua só exculaxa a quem se acha dono dela
Respeita a minha quebrada, convoco os muleque zica
Cê chama de quadrilha, eu chamo de família
Bahia, moleque correria, aqui no morro
Nos predim ali é pica Dj Douglas passa o rodo
Atitude de Suzano, Firma a gangue está aí
Rolê no Ermelindo, vejo a fumaça subir
De moto tipo a mil, vacilou se nem me viu
Sirene a mil (puta que o pariu) na fuga partiu
Cê viu? vejo grafites me lembro do mano Nei
Tipo A, sem frescura, nos rolê nois era a lei
Deus o tenha mano, represento os que sobrou
Zona Leste, sou ferraz, vida loka sofredor
Na escuridão terror, só no pique fumador
Na rua os passador, filhos que o Brasil criou
Do rap, daqueles que em 1 som milhares seguem
Nem bandido, nem perigo, mas também nem pé de breque
Mete o louco não carai, vuando tô tipo TAM
Na selva de pedra, rasgando tipo Tarzan
Sem camisa, meio da pista, omicida Talibã
Pouco se fudendo onde vou acordar amanhã
Head fone, Ice e club, gangsta sou o clã
Pivete juvenil querendo ser Daniel Sam
Entaão ce né o pam, desacreditar jamais
PR solicita, só os zica pa carai…

(Refrão 1x)

Qual o rolê, ainda num sei (moleque zika mano, moleque zika man)
Na rua é nóis quem faz a lei (onde tiver um piãozinho pode me chamar)
Com os guerreiros eu já fumei (sobrou uma baga molecóte? então deixa pra mim!)
Se eu tô sóbrio eu já não sei (na porra do bagulho, moleque zica dig, dig dim)

(Verso 2) [Leandro Mc]

Moleque zica pra carai, de volta na fita representando
PR Banks & Leandro Mc que tão causando
Parte 2 chegando, arregaçando tudo na frente, tamo
A mais de cem por hora, acelerando (vrum) sai da pista mano
Bagulho é louco, malandro pira e joga a mão pro alto
Nós toma de assalto SP e sai queimando o asfalto
Apologia não, só pra quem ta de salto alto
Que vai levar pedala Robinho e vai gritar (Ronaldo)
Então se liga que o papo, não faz curva aqui
Só idéia correta, que acerta a aba reta dos mc
Que tavam ali sentado olhando pagando um sapo pra mim
Mas não gosto de macho, acho melhor baixar o facho aí (ow)
Sou de São Paulo, represento meu bairro
Na zona sul cresci, conheci ali Sto. Amaro? (então…)
Nasci ali e se me orgulho? (é claro!)
Hoje sou mc, devo muito e tudo (ao meu bairro)
Junto com meu chegado Alex, cantando em mais um som
lançando outra pedrada tamo, então tó rap bom!
Bem mais que dom, bem mais que som e só levada
É poesia pura, rima da rua gravada em casa
Rimo de graça mas o flow aqui tem preço
Talento de berço parça, então não vêm de graça memo
Porque tenho meu conceito, na quebrada mó respeito
Os cara me para e fala na cara “mano, cê é negro”
Eu não sou negro, mano, sou branco do rap
Tipo Eminem, só que versão brazuca, então moleque
Vou fazer track das duas formas igualmente
Tipo Eduardo ex Facção ou Mano Brown dos Racionais, entende?
E conscientemente como sempre fiz
Levar intêligentemente a mensagem pra fora do país
Sem precisar de diss ou atriz pornô
Eu vou ganhar meu money, fazer meu nome mas sem forçar, morô?
Não amador, nem mesmo por brincadeira
Porque aqui o é nível pro, que faz som sério até na zoeira

(Refrão 1x)

Qual o rolê, ainda num sei (moleque zika mano, moleque zika man)
Na rua é nóis quem faz a lei (onde tiver um piãozinho pode me chamar)
Com os guerreiros eu já fumei (sobrou uma baga molecóte? então deixa pra mim!)
Se eu tô sóbrio eu já não sei (na porra do bagulho, moleque zica dig, dig dim)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *